IGP-10 acima do esperado pressiona taxas

SÃO PAULO, 16 de outubro de 2008 - A cautela predomina no mercado financeiro com os investidores atentos ao desenrolar da crise financeira mundial que caminha para uma recessão. Por aqui, o destaque da manhã foi o resultado acima do esperado do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) que contribui para pressionar as projeções de juros futuros dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa. Há pouco, o DI de janeiro de 2010, o mais líquido, apontava taxa anual de 14,85%, ante 14,73% do ajuste anterior.

Pela manhã a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o IGP-10 subiu 0,78% em outubro, bem acima do apurado em igual período de setembro quando houve deflação de 0,42%. O resultado superou o teto das expectativas (0,65%). Os produtos agrícolas passaram de uma queda de -4,30% para alta de 0,54%, contribuindo para a aceleração do IPA, assim como os produtos industriais (1,14% ante 0,63%), destaque para soja, feijão, adubos e minério de ferro.

No relatório da Gradual corretora, os economistas ressaltam que, não há dúvida que existe uma pressão do dólar nos preços domésticos. Os preços ao atacado são extremamente sensíveis às variações do dólar e já começam a pressionar o índice cheio. "Exemplo disso são os dados do IGP-10", frisa o relatório.

A FGV também informou hoje que o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu 0,3% na apuração terminada em 15 de outubro, 0,14 ponto percentual acima da medição de 07 de outubro. Este foi o maior resultado desde a segunda semana de agosto de 2008, quando o índice registrou variação de 0,34%.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais