Edison Lobão admite adiar investimento de R$ 7,5 bilhões

Rivadavia Severo, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O governo admite a possibilidade de adiar o leilão do linhão de transmissão de energia elétrica que vai levar a produção das usinas do rio Madeira, Santo Antônio e Jirau, para abastecer o mercado da região Sudeste, um investimento avaliado pelo governo em R$ 7,5 bilhão. O pregão marcado para o próximo dia 31 poderá sofrer atraso de até 30 dias , reconhece o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que até o fechamento desta edição não havia marcado uma nova data para a licitação.

Segundo o ministro, tem havido solicitação dos próprios empresários para que se faça um pequeno adiamento do leilão, tendo em vista a turbulência econômica. A Aneel está estudando essa questão com todo o cuidado . O ministro reconheceu que existe a possibilidade de adiar o leilão por 30 dias no máximo, sem prejuízo da obra. Só adia se não houver nenhum atraso na entrega da obra .

O problema seria a falta de recursos dos investidores. Eles estariam encontrando dificuldade para cobrir as garantias financeiras exigidas pelo governo, por causa da escassez de crédito na praça.

O linhão está dividido em sete lotes no leilão que somam R$ 48,64 milhões na opção de corrente contínua e de R$ 57,32 no projeto que une a corrente contínua com a alternada. As vencedoras do leilão terão que aportar garantias que excedem os R$ 500 milhões em um prazo de 30 dias após o pregão, daí a dificuldade.

O ministro Lobão vinha repetido que não haveria adiamento do leilão. A mudança de postura do ministro Lobão teria ocorrido nesta quinta-feira, após encontro privado com o diretor-geral da Aneel, Jerson Kelman, que expôs para ele as razões dos empresários, constrangidos pela falta de liquidez do mercado.

O linhão do Madeira será formado por duas linhas de transmissão de alta tensão que correrão paralelas por 2,5 mil quilômetros e levarão a energia gerada nas hidrelétricas do estado de Rondônia para Araraquara, no interior paulista, e redistribuídas para a região Sudeste, onde será consumida a maior parte de sua produção.

No total, as usinas de Santo Antônio e Jirau devem gerar 4.310 megawatts (MW) e o linhão é quem vai fazer a transmissão dessa energia gerada no Norte do país para ser consumida no Sudeste e no Sul.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais