Dúvida agora é a aprovação na Câmara, diz economista

SÃO PAULO, 2 de outubro de 2008 - A aprovação do pacote de US$ 700 bilhões proposto pelo governo norte-americano para ajudar o setor financeiro dos Estados Unidos já era esperada pelo mercado financeiro, o que gerou uma precificação antecipada. A avaliação é do economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves. "A aprovação do pacote no Senado não deve animar as bolsas, pois isso já era esperado", disse.

Na noite passada, depois do fechamento do mercado, o pacote passou pelo Senado dos EUA, por 74 votos a 25, e agora segue para a Casa dos Representantes (Câmara dos Deputados), a fim de ser votada amanhã. Na segunda-feira, o pacote foi rejeitado pelos senadores, causando um aumento da tensão entre investidores. No entanto, um apelo do presidente norte-americano, George W. Bush, fez com que o mundo acreditasse na aprovação do texto.

Para Gonçalves, a incerteza está agora na decisão da Câmara. "A aprovação do pacote não anima apesar de todo conteúdo proposto, a grande barreira deve ficar para amanhã, na Câmara dos Representantes. Hoje, é a incerteza quanto à decisão da Câmara que prevalece", acredita.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)