Odebrecht aceita acordo proposto pelo governo do Equador

SÃO PAULO, 1 de outubro de 2008 - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, informou que a construtora Odebrecht aceitou o acordo proposto pelo governo do Equador para resolver o impasse relativo ao embargo dos bens da empresa no país vizinho. O anúncio foi feito ontem, após reunião entre representantes do governo brasileiro e equatoriano, em Manaus.

De acordo com Amorim, uma carta da empresa brasileira ao governo do Equador confirmou que serão atendidas todas as questões solicitadas pelo governo equatoriano.

"Houve um entendimento de que isso cria uma situação nova que permite examinar a situação atual, sem entrar no mérito da questão, que não nos cabe devido ao respeito à soberania nacional do país vizinho", disse o ministro.

O presidente Rafael Correa confirmou que a empresa aceitou todas as condições do governo, inclusive uma reforma nos danos na central de San Francisco e o pagamento de uma indenização. Segundo ele, o governo brasileiro atuou de forma correta diante da situação.

"O presidente Lula tem respeitado a soberania de nosso país. Nos próximos dias, vamos tomar uma posição definitiva sobre o caso", anunciou Correa.

O presidente equatoriano também esteve em Manaus e participou de reuniões com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Bolívia, Evo Morales.

Durante as reuniões, os principais assuntos tratados foram a integração entre esses países por via rodoviária e fluvial; questões relacionadas ao combate ao narcotráfico e aos ilícitos nas áreas de fronteira.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)