ABN Amro pede que clientes mantenham a calma

SÃO PAULO, 30 de setembro de 2008 - O ABN Amro Holanda pediu hoje que seus clientes se mantenham calmos em uma publicidade inserida em todos os jornais da Holanda, na qual afirma que é um banco "à parte" de seu atual proprietário, o Fortis, que lhe pôs à venda para frear sua própria derrubada.

O diretor-geral do ABN Amro, Jan Peter Schmittmann, assegura na publicidade que seu banco tem uma "posição financeira independente e balanço saneado, que satisfazem com sobras as exigências financeiras do Banco Central holandês".

Schmittmann insistiu em que Fortis e ABN Amro são dois bancos "diferentes", e considerou que a preocupação do Governo holandês com a crise do Fortis é "uma boa notícia".

Nesta terça-feira, o banco holandês ING descartou uma oferta para adquirir os ativos do ABN Amro que devem ser negociados pela entidade financeira Fortis como parte do plano de resgate iniciado pelos governos de Bélgica, Holanda e Luxemburgo.

"Após uma cuidadosa consideração, o ING concluiu que a transação não satisfazia seus requisitos financeiros", anunciou a entidade em comunicado. O ING assegura que após ter examinado a situação "cuidadosa e detalhadamente", leva em conta "os interesses de todos os envolvidos (funcionários, clientes...) e reconhece que a responsabilidade final é dos acionistas".

A entidade holandesa assegura que será "cuidadosa" no momento de considerar novas aquisições, "especialmente nas circunstâncias excepcionais dos mercados". Parte da imprensa apontava ontem que o ING ficaria com o ABN, por um preço em torno de 10 bilhões de euros.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)