Temores econômicos ditam forte perda de bolsas européias

REUTERS

PARIS - O principal índice de ações européias recuou 2,5 por cento nesta quinta-feira e fechou no pior nível desde 17 de julho, com a intensificação dos temores sobre o crescimento econômico na zona do euro e nos Estados Unidos.

O FTSEurofirst 300, índice que acompanha as principais empresas da Europa, fechou com desvalorização de 2,5 por cento, aos 1.152 pontos. O setor bancário encabeçou as perdas.

O UBS perdeu 5,4 por cento, o Barclays desabou 6,2 por cento e o Banco Santander caiu 3,8 por cento.

Após a decisão do Banco Central Europeu (BCE) de manter a taxa básica de juros em 4,25 por cento, o presidente da instituição, Jean-Claude Trichet, afirmou que os dados econômicos da zona do euro apontam enfraquecimento do crescimento, mas inflação ainda alta e com riscos de que aumente mais.

Nos Estados Unidos, o dia também era de intensas perdas, com os principais índices afetados por sinais de deterioração no mercado de trabalho.

As ações de grupos industriais europeus figuravam entre as mais desvalorizadas.

- Podemos estar entrando na terceira fase desse mercado com tendência de queda (bear market), em que os investimentos corporativos devem sofrer- afirmou o analista Sebastien Thevous-Chabuel, da Oddo Securities.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 2,5 por cento, a 5.362 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 2,91 por cento, para 6.279 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 3,22 por cento, para 4.304 pontos.

Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em baixa de 2,79 por cento, a 21.736 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou queda de 3,11 por cento, a 11.480 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve baixa de 1,94 por cento, a 8.584 pontos.