Produção de açúcar do Brasil crescerá abaixo do esperado

REUTERS

SÃO PAULO - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou nesta quinta-feira que a produção de açúcar no Brasil na safra 2008/2009 ficará em 32,8 milhões de toneladas, abaixo do intervalo de 33,9 a 35,2 milhões de toneladas anunciado em abril. Em 2007/08, o Brasil produziu 31,3 milhões de toneladas.

Segundo a entidade, a moagem de cana-de-açúcar no Brasil em 2008/09 deverá atingir 558,72 milhões de toneladas, bem próximo ao intervalo mais baixo previsto na primeira estimativa divulgada em abril (entre 558,1 e 579,8 milhões de toneladas).

Na safra passada, a indústria brasileira moeu 501,5 milhões de toneladas.

- Esse crescimento (ante o ano passado) é registrado, principalmente, pela ampliação do plantio por cerca de 35 novas usinas e o aumento da produtividade obtido com as boas condições climáticas- disse o presidente da Conab, Wagner Rossi, em comunicado.

A Conab informou que a produção de açúcar no Brasil na safra 08/09 ficará em 32,8 milhões de toneladas, abaixo do intervalo de 33,9 a 35,2 milhões de toneladas anunciado em abril. Em 2007/08, o Brasil produziu 31,3 milhões de toneladas.

A produção de álcool no país foi estimada em 27,1 bilhões de litros, contra um intervalo de 26,4 a 27,5 bilhões de litros previstos em abril. A produção na atual temporada deverá ficar bem acima dos 23 bilhões de litros na safra anterior.

Centro-Sul

Entre os fatores que podem ser apontados para uma redução das expectativas na comparação com as projeções anteriores estão as condições meteorológicas no centro-sul do Brasil, que responde por 88% da safra nacional. A previsão da Conab para a moagem do centro-sul, de 487,4 milhões de toneladas, ficou abaixo da estimativa de abril (intervalo de 489,6-508,3 milhões de toneladas).

- O fato marcante observado por nossos técnicos na região Centro-Sul foi o atraso no cronograma de moagem da cana, ocasionado tanto pelos níveis elevados de precipitação pluviométrica no período inicial da safra, como também pelo atraso de início de operação de algumas unidades novas que, por diversos motivos, não finalizaram as obras no tempo aprazado- apontou o relatório da Conab.

Segundo os técnicos da estatal, em alguns Estados da região, especialmente em São Paulo, que é o Estado que representa quase 60% da safra nacional, as chuvas prejudicaram o início da moagem. Esse ritmo mais lento da moagem nas primeiras quinzenas da colheita, segundo a Conab, ocasionou duas consequências que "afetaram um pouco o desempenho da safra".

- O primeiro ponto diz respeito ao rendimento industrial da cana moída até meados de julho, que em decorrência do excesso de umidade apresentou um índice de ATR (açúcar total recuperável) abaixo dos padrões convencionais- afirmou o relatório da Conab.

O segundo ponto, ressaltou o relatório, refere-se ao descumprimento dos fluxos planejados de moagem que deverá implicar na impossibilidade de corte de toda a cana disponível no período mais recomendável para a safra, fazendo com que uma parcela ainda não dimensionada dessa cana permaneça no campo até o início da próxima temporada, abril do próximo ano.

De acordo com a estatal, isso permitirá que o novo período de colheita em 2009 seja iniciado mais cedo. Com a redução da expectativa de moagem no centro-sul, a produção de açúcar foi estimada em 27,8 milhões de toneladas, ante previsão de 28,8 a 29,9 milhões em abril, mas ainda acima do volume da safra passada, de 26,4 milhões de toneladas. A produção de álcool, prevista em 24,5 bilhões de litros, embora dentro do intervalo estimado em abril (24,1-25 bilhões), deverá ficar bem acima do volume da temporada passada (20,8 bilhões).