Preços caem mais para quem ganha 1 salário

SÃO PAULO, 4 de setembro de 2008 - O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), calculado com base nas despesas de consumo das famílias com renda entre 1 e 2,5 salários mínimos mensais, registrou deflação de 0,32% em agosto, face julho. Este foi o menor resultado desde junho de 2006, quando o índice registrou queda de 0,57%. Os dados foram divulgados há pouco pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No ano, o IPC-C1 acumula alta de 6,27%; e de 8,45% em 12 meses - o primeiro recuo após cinco meses de aceleração.

A maior contribuição para o recuo do IPC-C1 em 12 meses partiu do grupo Alimentação (18,85% para 15,85% ). Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: Arroz e Feijão (80,21% para 68,12%), Hortaliças e Legumes (26,92% para 12,71%), Laticínios (-2,29% para -9,91%) e Carnes Bovinas (45,01% para 40,36%).

O grupo Vestuário (5,25% para 4,69% ) e Saúde e Cuidados Pessoais (4,77% para 4,61%) também apresentaram recuo em sua taxa acumulada em 12 meses. Para cada uma desta classe de despesa, vale citar o comportamento do itens: Roupas (4,69% para 4,22%) e Artigos de Higiene e Cuidado Pessoal (5,02% para 4,36%).

Em contrapartida, os grupos Habitação (3,34% para 3,69%), Educação, Leitura e Recreação (4,36% para 4,85%), Transportes (2,53% para 2,56%) e Despesas Diversas (4,36% para 5,55%) registraram acréscimo em suas taxas de variação. Para cada uma destas classes de despesas, o principais destaques foram: Tarifa de Telefone Fixo Residencial (2,16% para 3,50%), Curso de Educação Infantil (Creche) (7,80% para 9,49%), Tarifa de Ônibus Interurbano (3,63% para 4,55%) e Cigarros (5,33% para 6,29%), respectivamente.

(Redação - InvestNews)