Com US$1,2 bi, Telefônica amplia presença na China

REUTERS

MADRI - A espanhola Telefônica informou nesta quinta-feira que irá elevar a participação que detém na operadora China Netcom em 5,75%, ampliando presença no maior mercado de telecomunicações do mundo.

A Telefônica pagará até 802 milhões de euros (US$ 1,2 bilhão) para comprar a parte que atualmente pertence à administradora de fundos norte-americana Alliance Bernstein Holdings LP, disse a empresa em um comunicado, levando sua participação na China Netcom para acima de 12%.

O investimento, por sua vez, dará ao grupo espanhol uma participação de 5,5% na nova companhia que resultará da iminente fusão entre China Netcom e China Unicom, o que fará dela a maior acionista privada da nova entidade.

A China divulgou um plano longamente esperado pelo mercado para impulsionar a indústria de telecomunicações no dia 24 de maio, através da orquestração de aquisições que formem três operadoras multisserviços: a China Mobile, a China Telecom e a Unicom-Netcom.

Os analistas consideram que as operadoras fortalecidas ainda precisam do conhecimento e tecnologia que empresas estrangeiras podem agregar, embora um deles tenha afirmado que a Telefónica será a principal beneficiada de um acordo desse tipo.

- A participação beneficia muito mais a Telefônica do que o restante do grupo. A China é um mercado em crescimento- disse Steven Liu, analista da DBS Vickers. acrescentou.

Outro analista disse que o movimento era parte da estratégia do grupo espanhol de diversificar suas atividades.

- Acreditamos que o interesse da Telefônica na Netcom é parte de uma estratégia de ampliação das fronteiras e parte de uma decisão de fortalecer laços com a China e diversificar seu atual foco internacional, centrado na América Latina- disse Tucker Grinnan, analista do HSBC.

No Brasil, o grupo controla a operadora de telefonia fixa Telesp e metade do capital da Vivo , maior operadora de celular do País.