Volatilidade marca primeira etapa dos negócios

SÃO PAULO, 3 de setembro de 2008 - Após o mercado doméstico ser fortemente afetado pela queda das commodities ontem, a volatilidade marcou a movimentação do índice acionário da BM&FBovespa nesta manhã. Depois de operar durante boa parte da manhã em alta, a bolsa brasileira registrava, há pouco, desvalorização de 0,6%, aos 54.079 pontos. O giro financeiro estava em R$ 2,34 bilhões.

Embora o preço do petróleo continue registrando recuo no mercado internacional - afetando negativamente as ações da Petrobras - a alta do Ibovespa registrada pela manhã foi puxada pela valorização de mais de 3% dos papéis preferenciais e ordinários da Vale do Rio Doce. Rumores de mercado, não confirmados pela mineradora, apontam alta do minério de ferro vendido às chinesas.

Porém, instantes atrás, os papéis da Vale perderam força - com alta de 1,78% para as ações preferenciais série A, e 1,48% para as ordinárias. Aliado a este fato, as principais praças acionárias de Wall Street voltaram a operar no vermelho, influenciando o índice brasileiro como um todo.

No âmbito internacional, o crescimento no volume de encomendas à indústria norte-americana - que avançou 1,3% em julho, acima do previsto pelo mercado, que projetava alta de 0,7% - foi ofuscado pela divulgação de indicadores econômicos europeus. Por lá, a agência Eurostat divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro recuou 0,2% no segundo trimestre de 2008, enquanto a expansão da economia no conjunto de países que compõem a União Européia (UE) foi 0,1% menor.

Os investidores ainda aguardam a publicação do Livro Bege, do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). O documento traz um sumário das condições econômicas recentes nos Estados Unidos que, juntamente com os últimos indicadores disponíveis e com o julgamento dos membros do Fed, serão levados em consideração na próxima reunião de política monetária, marcada para 16 de setembro.

Notícias do setor financeiro norte-americano também movimentam os mercados. O Ospraie Management decidiu fechar seu fundo de hedge, após registrar importantes perdas. Segundo matéria do Wall Street Jounal, os administradores do fundo restituirão aos investidores 40% de seu valor residual, até o final de setembro, e outros 40% antes do final do ano. O Lehman Brothers possui 20% de participação no Ospraie.

No front doméstico, dentre as 66 ações que compõem o Ibovespa, os principais destaques de alta são Embraer ON (+2,1%), Bradespar PN (+2,09%) e Tam PN (+1,8%). Já entre as três maiores desvalorizações estão JBS ON (-6,4%), Vivo PN (-4,48%) e Gerdau Metais PN (-3,75%).

A agência de classificação de riscos Moody´s continua revisando os ratings do frigorífico JBS. O procedimento ocorrerá até que as autoridades antitruste nos Estados Unidos tomem um posicionamento a respeito das aquisições Nation Beef Packing Company, LLC ("National Beef") e Smithfield Beef, o que inclui a sua subsidiária Five Rivers Rabch Cattle Feeding.

O Ibovespa com vencimento em outubro registrava queda de 0,77%, a 54.720 pontos, nas negociações futuras da BM&FBovespa.

(Vanessa Correia - InvestNews)