Fluxo reconduz dólar para baixo

SÃO PAULO, 27 de agosto de 2008 - Após registrar três dias consecutivos de alta a moeda norte-americana voltou a cair nesta quarta-feira e há pouco era comprada a R$ 1,624 e vendida a R$ 1,625, com desvalorização de 0,49%. Profissionais ressaltam que o forte ingresso de recursos, juros internos elevados e a valorização das commodities favorece a queda da dólar.

A corretora NGO continua com a convicção de que a taxa de câmbio deva retornar a R$ 1,60, aproximadamente, visto que em ambiente de juros elevados não é conveniente a estocagem de moeda norte-americana. Porém, admite que convive-se com muitos "receios", alguns procedentes e outros nem tanto, a respeito do crescimento do déficit das "transações correntes" e queda do superávit da balança comercial. Além disso, relega-se a plano secundário o fato do Brasil neste momento ter um quadro diferente, menos vulnerável, do que anos atrás, e que para que o déficit em "transações correntes" continue se ampliando, é imprescindível que a economia continue crescendo e, portanto, recebendo investimentos externos.

No front externo, as atenções seguem voltadas para o preço do petréleo. Hoje foi informado que os estoques de petróleo nos Estados Unidos caíram 100 mil barris na última semana, para 305,8 milhões de barris.

Os agentes financeiros monitoraram também os números de pedidos e entregas de bens duráveis (Durable Good Orders) feitos à indústria norte-americana que avançou 1,3% em julho, para US$ 219,3 bilhões. Os dados vieram acima das expectativas do mercado que projetava um avanço de 0,1%.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)