Brasil e Austrália planejam cooperação bilateral

SÃO PAULO, 27 de agosto de 2008 - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou hoje, após reunião com o primeiro ministro da Austrália, Kevin Rudd, que os dois países devem elaborar um plano de ação nas áreas de comércio e investimentos, agricultura, mineração, energia, ciência e tecnologia, educação, esportes e cultura.

"Parece um desdobramento natural das afinidades entre os dois maiores países do Hemisfério Sul", disse Amorim, segundo a assessoria de imprensa do Itamaraty. A intenção do plano é fazer com que as relações bilaterais cheguem ao patamar de uma "parceria elevada".

Também está sendo negociado um acordo na área de ciência e tecnologia, informou o chanceler. De acordo com Amorim, áreas como biocombustíveis, algodão, trigo e cooperação educacional apresentam grande potencial para acordos bilaterais e cooperação.

Há também possibilidades de cooperação entre a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e o CSIRO (Commonwealth Scientific and Industrial Research Organization), e entre o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e o ARC (Australia Research Council).

Além de discutir as relações bilaterais, a viagem do ministro tem como objetivo dar continuidade aos contatos para tentar retomar as negociações da Rodada Doha. Em 2007, o comércio Brasil-Austrália chegou a US$ 1,39 bilhão, o que representa um recorde em 20 anos. As importações foram de US$ 775 milhões, enquanto as exportações chegaram a US$ 614 milhões.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)