Previsão de deflação do IGP-M ganha força no mercado

SÃO PAULO, 26 de agosto de 2008 - Depois de registrar variação negativa na primeira e segunda prévia de agosto, a expectativa do mercado é que o Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) aponte deflação neste mês, ante inflação de 1,76% verificada em julho. De acordo sondagem realizada pela InvestNews, as instituições financeiras apostam em deflação entre 0,06% e 0,25% - média de -0,16%. Caso o movimento de queda se confirme, este será a primeira vez que o indicador cai desde abril de 2006. Em agosto de 2007, o IGP-M havia subido 0,98%.

Para os especialistas consultados, queda da cotação de commodities agrícolas na cena externa deve refletir no comportamento dos preços de grãos como milho, trigo e café, mas a redução deve ser acentuada pela reduação do custo da carne bovina, que vem apontando alta há alguns meses, reflexo da diminuição do rebanho brasileiro. Segundo o economista-chefe da Concórdia Corretora, Elson Teles, esse comportamento dos agrícolas deve contribuir para uma deflação de 0,66% do Índices de Preços por Atacado (IPA), ante julho (2,20%), sendo que a taxa dos agrícolas deve cair 4,9%, enquanto os itens industrializados devem subir 1%.

"Dentre os agrícolas, o grande destaque será a soja, com queda estimada de 14%, contribuindo com -0,55 ponto percentual sobre o IGP-M. Em menor escala, também terão impacto negativo: tomate, milho, bovinos, trigo e café", disse.

Teles projeta ainda que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) suba 0,23% em agosto, face alta de 0,65% em julho. Já o Índice Nacional da Construção Civil (INCC) deve ter discreta melhora de 1,42% para 1,40%. No ano, o IGP-M acumula inflação de 8,7% e em 12 meses 15,11%.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga nesta quarta-feira o IGP-M de agosto e os dados acumulados até este mês.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)