Indefinição do cenário externo deverá continuar

SÃO PAULO, 25 de julho de 2008 - A volatilidade apresentada pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no primeiro semestre deste ano deverá manter-se ainda por um período, afirma Marcelo Guterman, professor de finanças do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais São Paulo (Ibmec - SP). "Para performar bem, a bolsa depende de dois fatores: do crescimento mundial - onde o preço das commodities vinha sustentando a Bovespa - e do crescimento doméstico", explica. "Apesar do crescimento da economia brasileira, nos últimos tempos, ele está vindo acompanhado de uma alta da inflação, o que, conseqüentemente, faz com que o Banco Central eleve a taxa de juros. Isso reforça as aplicações em renda fixa e desfavorece os investimentos em renda variável, neste caso, na bolsa e nos fundos de investimento em ações", complementa o professor.

Para Guterman, a volatilidade deverá ser puxada, principalmente, pela indefinição no cenário externo. Por outro lado, o professor acredita que o ´investment grade´ recebido pelo Brasil no início deste ano deverá ajudar no longo prazo. "Desta maneira, quem estiver precisando do dinheiro no curto prazo não deverá optar por esse tipo de produto. Mas, se o horizonte for três anos, a perspectiva é de um cenário bem melhor", finaliza.

(Angela Ferreira - InvestNews)