Curva procura acomodação após ajuste da Selic

SÃO PAULO, 25 de julho de 2008 - Após mostrarem forte escalada na sessão anterior, em movimento de ajuste à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de apertar o passo e elevar a Selic em 0,75 ponto percentual, para 13% ao ano, a curva de juros futuros da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) procura por acomodação. No fim da manhã, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para outubro deste ano mantinha taxa anual de 13,06%, depois de 15 mil negócios.

O DI de janeiro de 2009 indicava juro anual de 13,70%, contra 13,71% do ajuste anterior. Este vencimento tinha 114,7 mil contratos fechados e giro de R$ 10,8 bilhões. O DI de janeiro de 2010 apontava juro anual de 14,81%, frente aos 14,86% do último ajuste, com 203,3 mil transações (R$ 16,6 bilhões). Janeiro de 2012 passava de 14,26% para 14,13%.

Segundo analistas, a parte mais longa da curva recua com maior intensidade, sob a expectativa de que o aperto monetário pode ser intenso, porém mais curto do que o anteriormente previsto, dada a postura agressiva do Copom. E é em clima de expectativa que os investidores aguardam para a próxima semana a divulgação da ata do encontro. O documento explicará os movimentos pelo qual o BC optou por acelerar o passo.

O clima mais tranquilo nos mercados internacionais, com o avanço nas bolsas de valores de Nova York, também contribuía com o movimento da curva de juros. Por lá, os índices eram estimulados pela divulgação de indicadores econômicos melhores que o esperado.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)