Sem bolsas dos EUA, dia deve ser de poucos negócios

SÃO PAULO, 4 de julho de 2008 - Sem sua principal referência, as praças acionárias norte-americanas - que não operam hoje devido às comemorações do Dia da Independência - a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve registrar um movimento reduzido de negócios. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em agosto registrava desvalorização de 0,58%, aos 59.500 pontos, na Bolsa de Mercadorias & Futuro (BM&F).

Nos últimos três dias, a bolsa paulista registrou um forte movimento vendedor, que colocou o saldo semanal do Ibovespa em baixa de quase 8% e abaixo dos 60 mil pontos. Novamente os papéis do setor siderúrgico foram os destaques negativos. Depois de ótimo desempenho no começo do ano, os ativos de Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Gerdau e Usiminas não mostram o mesmo fôlego e relacionam desvalorizações próximas de 15% desde o começo da semana.

Analistas creditam a derrocada do índice acionário brasileiro à saída de investimentos estrangeiros. O saldo negativo no mês de junho foi de R$ 7,41 bilhões, maior volume desde que os números começaram a ser contabilizados, em janeiro de 2000.

Porém não é só a bolsa paulista que tem apresentado desempenho negativo. As bolsas da Ásia encerraram a semana em queda, com o índice Nikkei 225 de Tóquio registrando queda pelo 12º dia consecutivo. Os investidores seguem preocupados com os contínuos recordes nos preços do petróleo e com a ameaça de estagflação - inflação combinada com desaquecimento econômico - sobre as economias da região.

(Vanessa Correia - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais