Panamericano e Cruzeiro do Sul dominam FIDC

SÃO PAULO, 4 de julho de 2008 - Da parcela de investimento destinada aos Fundos de Investimento em Direito Creditório (FIDC) prevista pela Resolução 3.506 para os Regimes Próprios de Previdência Social, apenas os bancos Panamericano e Cruzeiro do Sul apresentam produtos para atender a este mercado. Isto porque, este tipo de fundo deve ser de categoria padronizada e condomínio aberto, ou seja, que permita saques e investimentos ao longo do período e não apenas uma data única e limitada para o resgate das cotas.

No total são três produtos disponíveis no mercado. Um dos fundos é o FIDC BCSul Verax, um produto com direitos creditórios oriundos de contratos de empréstimos originados pelo Banco Cruzeiro do Sul e gerido pela BCSul Verax Serviços Financeiros. Os outros dois pertencem ao Banco Panamericano, sendo eles o Master-FIDC e o AutoPan-FIDC.

´Tanto o Master-FIDC quanto o AutoPan-FIDC possuem características de risco/retorno diferenciado porque o fundo é composto de créditos originários de diversos contratos de alienação fiduciária de veículos´, explica Daniel Abravanel, diretor institucional do Banco Panamericano.

Todavia, a concorrência deve ficar mais acirrada. O Bradesco é um dos bancos que sinalizam com a possibilidade de elaborarem um fundo de direitos creditórios para atender aos regimes próprios. ´Existe a expectativa de o banco criar, no médio e longo prazos, um FIDC para oferecer para os regimes próprios. Sabemos que é um produto interessante e que, com a taxa de juros baixa, estes regimes têm de buscar produtos diferenciados para diversificar sua carteira´, adianta Aldo José da Silva, gerente de investimentos do Bradesco.

(Angela Ferreira - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais