Ásia cai por estagflação; Petróleo acima de US$ 145

SÃO PAULO, 4 de julho de 2008 - As bolsas da Ásia encerraram a semana com desempenho negativo, com o índice Nikkei 225 de Tóquio registrando queda pelo 12º dia consecutivo. Os investidores da região seguem preocupados com os contínuos recordes nos preços do petróleo e com a ameaça de estagflação - inflação combinada com desaquecimento econômico - sobre as economias da região.

O índice Nikkei 225 de Tóquio caiu 0,20%, para 13.237,89 pontos, registrando seu maior período de perdas em 54 anos. Nos últimos 12 dias, o indicador acumulou baixa de 8,40%. Em Seul, o índice Kospi recuou 1,78%, para 1.577,94 pontos. Em Hong Kong, o indicador referencial Hang Seng subiu 0,85%, para 21.423,82 pontos. Já na China, o índice Xangai Composto perdeu 1,24%, para 2.669,89 pontos.

A semana foi marcada pela preocupação dos investidores asiáticos com a possibilidade de estagflação nas economias do continentes. Eles temem que os bancos centrais da região elevarão a taxa básica de juros para conter as pressões inflacionárias, atraindo o investidor para a renda fixa e reduzindo o volume de dinheiro investido no mercado acionário.

Além disso, a alta do petróleo eleva os temores de queda nos gastos dos consumidores e de perdas nos lucros corporativos. Nesta sexta-feira, o barril de petróleo nos Estados Unidos, com vencimento para agosto, encerrou o dia negociado a US$ 145,85 nas operações eletrônicas da Ásia, registrando um novo recorde histórico e acumulando alta de 0,50% no ano.

Há instantes, a commodity era cotada a US$ 144,96 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês), registrando queda de 0,23% em comparação ao fechamento de ontem. O recuo é atribuído à valorização da moeda norte-americana no mercado de divisas internacional.

Em Tóquio, o dólar encerrou o dia negociado a 106,72 ienes, contra 106,03 ienes da última sessão. Entre as companhias exportadoras, beneficiadas pelo avanço do dólar, as ações da Sharp, Sony e Toyota subiram 0,76%, 0,65% e 0,41%, respectivamente. Já os papéis da Trend Micro cresceram 0,29%.

Destaque na Ásia para as companhias siderúrgicas, influenciadas pela notícia de que a anglo-australiana BHP Billiton, maior mineradora do mundo, aumentou em 97% os preços do minério de ferro embarcado para a companhia chinesa Baosteel. Os títulos da BHP Billiton aumentaram 2,21%, enquanto os da Baosteel caíram 1,29%. Entre outras siderúrgicas, as ações da Nippon Steel e Rio Tinto avançaram 1,48% e 3,08%, respectivamente.

(Marcel Salim - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais