Investidor repercute PIB norte-americano

SÃO PAULO, 26 de junho de 2008 - Os números sobre o crescimento da economia norte-americana no primeiro trimestre concentram a atenção dos investidores e determina o rumo dos negócios nesta quinta-feira, um dia após o Federal Reserve (Fed, BC dos Estados Unidos) ter mantido o juro básico do país em 2% ao ano.

De acordo com o Departamento de Comércio, o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu 1% nos primeiros três meses de 2008, acima da preliminar de 0,9%. Já o núcleo do índice de preços PCE acelerou 2,7% no período, acima do esperado pelo mercado, de 2,6% e também dos 2,1% da medição anterior.

Nesta manhã, o vice-presidente do Fed, Donald Kohn, voltou a alertar sobre os riscos da inflação. Ele pediu para que os membros de bancos centrais espalhados pelo mundo monitorem com cuidado a situação, observando sinais para que o aumento nos preços relativos não gere inflação persistentemente alta.

Na véspera, o comunicado pós-decisão do Fed voltou a reiterar as preocupações com o aumento de preços. No entanto, os integrantes ponderaram que esperam que a inflação se modere ainda este ano, não oferecendo indicação iminente de que os juros irão subir.

O dólar, após romper pela primeira vez em nove anos o piso psicológico de R$ 1,60, deve se manter em queda. "Enquanto houver enxurrada de dólares no País, a moeda vai continuar caindo", avalia Deives Gomes Ribeiro, gerente da mesa de câmbio da Fair Corretora. Instantes atrás, a moeda estrangeira subia 0,06%, a R$ 1,591 na compra e R$ 1,593 na venda.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)