Presidente do TSE lamenta morte da antropóloga

SÃO PAULO, 25 de junho de 2008 - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, lamentou ontem a morte da ex-primeira-dama, a antropóloga Ruth Cardoso, mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

"Todo o Brasil lamenta a morte da professora Ruth Cardoso, que se notabilizou pelo seu alto saber como antropóloga, pela sua cidadania ativa e como uma pessoa de finíssimo trato", disse o ministro.

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), também expressou pesar pela morte de Ruth Cardoso: "Uma grande amiga, uma grande companheira, fundadora do PSDB, verdadeira consciência crítica da gente. Foi uma mulher extraordinária, de muita fibra e a construtora de todo esse arcabouço de programas sociais que o Brasil desfruta hoje".

De acordo com o senador amazonense, Ruth Cardoso não gostava de ser vista como primeira-dama, por achar que seu papel era outro. Ao mesmo tempo, segundo ele, ela talvez tenha sido a mais ativa (primeira-dama) politicamente "pelo seu passado, a sua militância, por sua cultura, por tudo que representava".

Arthur Virgílio lembrou ainda que Ruth Cardoso era uma das antropólogas mais reconhecidas pela comunidade científica.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)