Dólar pode cair abaixo de R$ 1,60 após decisão do Fed

SÃO PAULO, 25 de junho de 2008 - O clima de cautela antes da decisão do Comitê Federal para o Mercado Aberto (Fomc) sobre os juros manteve o dólar em alta, acima de R$ 1,60. Ainda assim, a moeda norte-americana segue no menor nível dos últimos nove anos. No fim da manhã, o dólar estabilizou a R$ 1,60 na compra e R$ 1,602 na venda.

Para os especialistas, o Fomc deve manter o juro estável em 2% ao ano e sinalizar em seu "statement" maior preocupação com o futuro da inflação e aperto monetário nos próximos encontros. Para Miriam Tavares, diretora da AGK corretora de câmbio, se o cenário se confirmar, as apostas de que o Fed subirá os juros a partir de setembro se fortalecerá. Entretanto, se o Fed mostrar maior complacência com a inflação, pode abrir espaço para uma queda mais profunda do dólar, levando a taxa abaixo do piso psicológico de 1,60 ante o real.

Para Sidnei Nehme, economista-chefe da corretora NGO, o dólar abaixo deste patamar deverá ser um risco para toda a economia, inibindo a continuidade dos movimentos especulativos a partir do mercado de derivativos da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

Com o foco no Fed, que precisa encontrar um jeito de contrabalancear o fraco crescimento econômico dos EUA e o aumento da inflação, as bolsas nova-iorquinas operam em alta nesta manhã, ancoradas no otimismo do setor de telecomunicações. A Jabil Circuit, produtora de telefones celulares para a Nokia, projetou lucro de US$ 3,2 bilhões a US$ 3,3 bilhões em seu quarto trimestre fiscal, surpreendendo positivamente os analistas. Após a previsão, a Merrill Lynch recomendou a compra das ações da companhia, que sobem 9% neste pregão. Os ativos da maior companhia telefônica dos EUA, AT&T, também sobem com força favorecidos pela melhora na recomendação para acima do nível de mercado fornecida pelo Sanford C. Bernstein.

Por aqui, o clima de cautela era reforçado pelo comportamento da inflação. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou a maior alta desde julho de 2004, apontando inflação de 0,90% em junho, contra variação de 0,56% apurada na medição anterior. Somado a isso, o Relatório Trimestral de Inflação mostrou projeções mais altas do Banco Central para a variação do nível geral de preços em 2008 e 2009.

Entre os índices, Dow Jones subia 0,45%, Nasdaq 1,49% e S&P 0,89%.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)