Recorde de IPOs atrai afortunados aos ME

SÃO PAULO, 24 de junho de 2008 - Os mercados emergentes contribuíram de modo relevante para as atividades no segmento mundial de IPOs (Oferta Pública Inicial, na sigla em inglês), que alcançaram níveis recordes em 2007. Mais de 1.300 operações de abertura de capital captaram cerca de US$ 300 bilhões durante o ano - e mercados emergentes tiveram sete das 10 maiores emissões, segundo o 12º Relatório Anual sobre a Riqueza Mundial, divulgado hoje pela Merrill Lynch e pela Capgemini. As nações 'BRIC' -Brasil, Rússia, Índia e China - mostraram um crescimento excepcional neste segmento, sendo responsáveis por 39% do volume global de IPOs em 2007, subindo dos 32% alcançados em 2006.

Os fluxos líquidos de capital privado para mercados emergentes também aumentaram em 2007. Os fluxos de capital privado para a América Latina mais do que duplicaram, passando para US$106 bilhões em 2007.

Novas oportunidades em ciências vitais e tecnologias limpas expandiram as oportunidades de mercado e o setor de energia renovável abriu espaço para a IPO de uma produtora brasileira de açúcar e álcool, no valor de US$ 1,2 bilhão.

Apesar das fortes incertezas em relação às perspectivas globais de curto prazo, os fatores fundamentais ainda fortes nos mercados emergentes devem sustentar altos níveis de crescimento. O equilíbrio entre a força dos mercados emergentes e a recuperação dos mercados maduros deve persistir durante 2008, ficando as perspectivas de curto prazo sujeitas a oscilações, considerando que certos aspectos de risco em potencial podem ser desconhecidos ainda.

De modo geral, a economia global tem dois obstáculos distintos a superar: fatores de inibição ao crescimento nos mercados maduros e alto risco de inflação em mercados emergentes. De acordo com nota divulgada pela Merrill Lynche, as perspectivas de crescimento global em HNWIs (pessoas de grande fortuna, na sigla em inglês) daqui em diante dependerão do grau de superação destes desafios. Tendo em conta o desempenho em 2007 e os acontecimentos recentes nos mercados mundiais, o relatório sugere que a riqueza global dos HNWIs crescerá até atingir US$59,1 trilhões em 2012, aumentando a uma taxa de 7,7% ao ano.

(Redação - InvestNews)