Opep diz que preço do petróleo não irá baixar

Agência ANSA

BRUXELAS - O presidente da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep), o ministro argelino de Energia, Shakib Khelil, sustentou nesta terça-feira que o "preço do petróleo não irá baixar".

- A Organização de Países Exportadores de Petróleo já fez o que podia - acrescentou o responsável pelo grupo, antes de iniciar uma reunião em Bruxelas com representantes da União Européia (UE).

Khelil reiterou que os preços do petróleo "não irão baixar" e que a Opep já fez o que pode. O petróleo fechou esta segunda-feira cotado a US$ 130,7 o barril, apenas 17 centavos abaixo de seu recorde histórico.

O preço do barril subiu ontem US$ 2,14 com relação ao valor de fechamento da última quinta-feira. Esse foi o valor mais alto desde o último dia 9 de junho, quando o produto alcançou seu recorde histórico, cotado a US$ 130,87 o barril.

O novo aumento acontece após o anúncio da Arábia Saudita de que irá aumentar seu nível de produção para até 9,7 milhões de barris por dia, o nível mais alto em trinta anos, e que irá continuar aumentando caso seja necessário.

Esta mensagem, dada no sábado durante uma reunião entre produtores e consumidores na cidade saudita de Jedda, pretendia tranqüilizar um mercado alarmado pela crescente tendência de aumento dos preços do petróleo.

A Opep e a Arábia Saudita - maior produtor mundial de petróleo - consideram, no entanto, que a atual situação não se deve a uma escassez do produto em circulação, mas sim à especulação nos mercados de futuros e ao enfraquecimento do dólar.