Exportação atinge US$ 64 bi em 12 meses

SÃO PAULO, 9 de junho de 2008 - As exportações do agronegócio, nos últimos 12 meses, totalizaram a marca histórica de US$ 64 bilhões, 18,3% acima do valor exportado entre junho de 2006 e maio de 2007. O resultado das vendas externas dos produtos agropecuários foi influenciado tanto pela regularização de registros de exportação devido à suspensão da greve dos fiscais da Receita Federal, quanto pelo aumento dos preços no mercado internacional. O complexo soja foi o setor que mais contribuiu para o aumento das exportações. As vendas aumentaram US$ 1,4 bilhão em maio, o que corresponde a mais de 60% do crescimento total das exportações do agronegócio no mês passado.

As vendas externas de carnes apresentaram crescimento de 39,8% atingindo o valor de US$ 1,4 bilhão, em comparação a maio de 2007. O preço influenciou o resultado já que a quantidade exportada aumentou 10%. O valor exportado de carne bovina in natura aumentou 5,6% por causa da elevação de 49,3% dos preços. O volume embarcado foi 29,3% menor.

As exportações de carne de frango in natura registraram incremento de 60,5% no valor exportado, devido ao aumento de 27% dos preços e de 26,4% da quantidade exportada. As vendas de carne suína in natura cresceram 65,2% em valor. O volume exportado foi 17,4% maior e os preços foram 40,7% superiores, no mesmo período de 2007.

Os valores exportados de soja em grãos aumentaram 125,5%, devido ao aumento de 60% da cotação desse produto no mercado externo, enquanto que a quantidade exportada cresceu 41%. As vendas de farelo de soja aumentaram a receita em 108,9%, alcançando a cifra de US$ 612 milhões. As exportações do óleo de soja aumentaram 55,7%, resultado propiciado pelo crescimento de 94% nos preços e pela redução de 19,8% do volume embarcado.

As importações do agronegócio em maio somaram US$ 886 milhões, uma variação de 26,9% em relação às ocorridas do mesmo período no ano passado. O incremento do valor importado do milho (397%) e da farinha de trigo (137,8%) contribuíram para o aumento. As quantidades importadas de trigo e arroz apresentaram queda de 73,2% e 48%, respectivamente.

(Redação - InvestNews)