Siderurgia brasileira está em expansão, avalia presidente do IBS

Débora Motta, JB Online

RIO - A siderurgia brasileira está em expansão, de acordo com o painel apresentado nesta terça-feira pelo presidente do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Rinaldo Campos Soares, no Encontro Nacional de Siderurgia, que acontece em Copacabana, Zona Sul do Rio.

- O setor vem reduzindo a capacidade ociosa e a expectativa da IBS é que em 2015 a produção deve chegar a 39,8 milhões de toneladas disse.

O presidente do IBS destacou que o desenvolvimento da siderurgia está ligado diretamente ao crescimento industrial do país.

- A expansão da siderurgia reflete a retomada do crescimento do país. É uma condição sine qua non para o crescimento de todas as outras cadeias produtivas e é a base das demais indústrias de base ponderou.

As indústrias siderúrgicas do país devem dobrar sua capacidade de produção até 2015, para 80,6 milhões de toneladas ao ano, com investimentos de US$ 45,7 bilhões (o equivalente a R$ 77,7 bilhões), de acordo com dados da IBS. Com isso, o Brasil deve passar de 9º a 7º maior produtor mundial de aço bruto.

Para Soares, o bom momento está ligado à conjuntura econômica do país:

- O avanço da mobilidade social, o crescimento de operações de financiamento ao investimento e ao consumo e a atratividade do país para o investimento estrangeiro, com o grau de investimento, são alguns dos fatores que explicam esse crescimento.