Dados da produção industrial favorecem queda das taxas

SÃO PAULO, 3 de junho de 2008 - As taxas de juros negociadas na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) encerraram a primeira etapa sinalizando queda. De acordo com operadores do segmento de renda fixa, o mercado repercutiu positivamente aos dados da produção industrial. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010, o mais negociado, indicava taxa anual de 14,20%, ante 14,28% do ajuste de ontem, em 187,5 mil transações. O giro financeiro era de R$ 15,1 bilhões.

Segundo a Pesquisa Industrial Mensal Produção Física divulgada nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a produção industrial aumentou 0,2% em abril, frente a março, na série com ajuste sazonal. Em relação a abril de 2007, houve expansão de 10,1% - a maior taxa desde outubro de 2007. O resultado divulgado hoje ficou em linha com as expectativas dos analistas.

Profissionais lembram que o resultado da produção industrial não muda a expectativa de novas elevações da taxa Selic, fixada em 11,75% ao ano. Hoje começa a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e amanhã será anunciado o rumo da Selic. No mercado as apostas seguem divididas entre elevação de 0,50 e 0,75 ponto percentual.

A Gradual corretora que estima aumento de 0,50 ponto nos juros cita dois motivos. Um deles é a nota da Fitch que irá trazer em breve um volume expressivo de recursos para o país, o que deve corroborar para a deterioração do câmbio de novo. O segundo motivo é a recente reviravolta na condução do Fundo Soberano de Riqueza, os recursos destinados ao Fundo servirão como um superávit informal, aumentando a meta atual e segurando um pouco a demanda global através desta política anticíclica.

Nesta manhã as atenções também ficaram centradas nas declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, Ben Bernanke, que em discurso em Barcelona, sinalizou que novas reduções de juros são improváveis devido as preocupação com a inflação.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews