Oxfam quer plano de urgência contra alta

SÃO PAULO, 2 de junho de 2008 - A organização humanitária Oxfam pediu a implantação "urgente" de um "plano de ação coordenada" de luta contra a alta dos preços dos alimentos, durante a cúpula da Organização da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em Roma, que começa nesta terça-feira.

"Os dirigentes do planeta devem, de maneira urgente, convir em um plano de ação internacional coordenado, com o objetivo de lutar contra a crise" provocada pela alta dos preços dos produtos alimentares, avalia a organização, com sede em Londres.

Pelo menos 290 milhões de pessoas, nos 53 países mais atingidos pela inflação, precisam de uma ajuda de urgência, segundo a Oxfam, que avalia em US$ 14,5 bilhões as necessidades de ajuda imediatas.

"Essa quantia é pequena, em relação aos bilhões que o Federal Reserve (FED, o Banco Central americano) e o Banco Central Europeu injetaram no sistema financeiro nesses seis últimos meses, para tentar evitar uma crise econômica", afirmou a Oxfam, em um comunicado.

A organização qualifica de "miseráveis" as somas doadas à agricultura nos países em desenvolvimento, que atingem, atualmente, "US$ 4 bilhões, em comparação aos US$ 125 bilhões que os países ricos deram a seus agricultores em 2006".

(Redação com agências internacionais - InvestNews)