Petróleo a US$ 129,73 eleva temor por inflação na Ásia

SÃO PAULO, 21 de maio de 2008 - As bolsas acionárias da Ásia fecharam em queda nesta quarta-feira, afetadas novamente pelos contínuos avanços nos preços do petróleo. O barril norte-americano atingiu hoje US$ 129,73, registrando um novo recorde nas operações eletrônicas asiáticas, com avanço de US$ 0,80 frente ao último fechamento em Nova York.

A alta do petróleo é atribuída à notícia de que a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) não elevará sua produção, ao mesmo tempo em que a oferta da commodity é vista como vulnerável pelo mercado. Outro fator que impulsiona os preços é a espera pela divulgação dos dados semanais sobre o estoque de petróleo nos Estados Unidos, prevista para hoje.

A declaração do milionário texano T. Boone Pickens, que previu ontem que os preços do barril norte-americano atingirão US$ 150 em seis meses, somada a advertência do banco de investimentos Goldman Sachs, na semana passada, de que o petróleo poderia chegar a US$ 200 por barril antes de 2010, também incentivam os avanços nos preços do barril.

Os contínuos recordes preocupam os investidores na Ásia. Eles temem que a alta do petróleo possa elevar as pressões inflacionárias nas economias do continente, prejudicando os gastos dos consumidores e os lucros das companhias.

O índice Nikkei 225 de Tóquio caiu 1,65%, para 13.926,30 pontos. O indicador Kospi de Seul recuou 1,36%, para 1,847.51 pontos. Na contramão, o índice referencial Hang Seng de Hong Kong subiu 1,16%, para 25.460,29 pontos. Já na China, o indicador Xangai Composto avançou 2,93%, para 3.544,19 pontos.

Entre as companhias petrolíferas, as ações da PetroChina na Bolsa de Xangai subiram 6,62%, após caírem ontem 3,40% por conta da realização de lucros. Os títulos da australiana Woodside Petroleum caíram 0,52%. Já as ações da japonesa Nippon Oil subiram 0,13%.

A desvalorização do dólar ante o euro e o iene e a perspectiva de que a inflação nas economias da Ásia poderá afetar o gasto dos consumidores provocaram a queda nos papéis de companhias exportadoras. No mercado de divisas de Tóquio, a moeda norte-americana encerrou o dia cotada a 103,31 ienes, contra 103,80 ienes observados na última sessão. Os títulos da Canon, Sony e Toyota, por exemplo, recuaram 3,53%, 2,71% e 3,32%, respectivamente.

Destaque em Tóquio para as ações do Mitsubishi UFJ Financial, maior instituição financeira nipônica, que caíram 4,45% nesta quarta-feira, apesar do banco ter anunciado ontem um lucro líquido de 322 bilhões de ienes (US$ 3,1 bilhões) entre janeiro e março de 2008, com avanço de 69% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

(Marcel Salim - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais