Retomada de privatização da Cesp é positiva

SÃO PAULO, 19 de maio de 2008 - As ações preferenciais série B da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) lideraram os ganhos da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta manhã. Os papéis repercutem notícia veiculada por um jornal de São Paulo, durante o final de semana, afirmando que o governo de São Paulo quer retomar o processo de privatização da estatal energética. Instantes atrás, os papéis da companhia registravam ganhos de 6,34%, a R$ 31,00.

´A notícia é positiva, porém com algumas ressalvas. O governo federal - agências e Ministério - não têm demonstrado interesse em antecipar as conversações quanto a renovação das concessões das usinas de Jupiá e Ilha Solteira por mais 30 anos, já que estas só vencem em 2015´, afirma Felipe Cunha, chefe da área de análise da Brascan Corretora.

A renovação destas concessões é fundamental para o sucesso da privatização da Cesp já que ambas as usinas são responsáveis por 67% da capacidade geradora da estatal energética paulista. Pela atual regra do setor energético, as hidrelétricas só podem renovar suas concessões uma vez, sendo que isso já aconteceu.

Segundo reportagem, o governo de São Paulo encaminhou dois pedidos - um à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e outro ao Ministério de Minas e Energia - pedindo o reconhecimento de um direito do Estado que garante a renovação das concessões por mais 30 anos. O argumento do governo é que, em 2000, a agência reconheceu esse direito na resolução nº 425.

´A segunda ressalva seria quanto a Lei Eleitoral. Há uma restrição quanto a alienação de ativos em ano de eleição, mesmo estas sendo na esfera estadual´, completa Cunha.

<CESP>

(Vanessa Correia - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais