Índice avança com blue chips e perspectiva de rating

SÃO PAULO, 16 de maio de 2008 - A perspectiva de que o Brasil receba a segunda elevação de rating para grau de investimento, desta vez pela Fitch Rating, mantém o otimismo no mercado doméstico, registrado desde a sessão de ontem. As blue chips Petrobras, Vale e empresas siderúrgicas também contribuem para o movimento. Há pouco, a bolsa paulista registrava valorização de 1,25%, aos 72.384 pontos. O giro financeiro estava em R$ 3,44 bilhões.

As ações da Petrobras refletem, nesta manhã, a renovação do recorde do preço do barril da commodity em Nova York, ao superar os US$ 127. Instantes atrás, as ações preferenciais e ordinárias subiam 1,44% e 1,84%, respectivamente. Já entre as siderúrgicas, as ações ordinárias e preferenciais séria A da Usiminas subiam 2,99% e 3,12%, respectivamente.

Novamente, a temporada de resultados trimestrais movimenta alguns papéis. Os papéis ordinários da Rossi Residencial lideram as perdas da Bovespa, com desvalorização de 11,74%. Ontem, a empresa reportou lucro líquido de R$ 20,3 milhões no primeiro trimestre deste ano, queda de 29,6% ante os R$ 29 milhões (valores ajustados pela prática contábil atual) registrados em igual período do ano anterior.

Já as ações ordinárias e preferenciais da Eletrobrás avançam pouco mais de 2% após a companhia anunciar lucro líquido de R$ 842 milhões entre janeiro e março deste ano, 261% superior ao lucro apurado no mesmo período do exercício anterior - R$ 233 milhões - considerado o grupamento de ações realizado em agosto de 2008.

A alta da Bovespa só não é maior em função da desvalorização das praças acionárias de Wall Street. Pela manhã, o índice de confiança do consumidor norte-americano, medido pela Universidade de Michigan ficou em 59,5 pontos em maio, enquanto que o projetado era de 62 pontos. Em contrapartida, as vendas de novas residências e licenças para construção ficaram acima do esperado, em abril.

Dentre os destaques positivos do Ibovespa estão Net PN, que subia 3,52%, a R$ 25,26; Nossa Caixa ON, que avançava 3,4%, a R$ 26,39; e Cesp PNB registrava alta de 3,17%, a R$ 28,94. No sentido oposto, além dos papéis da Rossi, CCR ON recuava 4,46%, a R$ 31,00; e Pão de Açúcar-CBD PN registrava queda de 3,8%, a R$ 3819.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em junho registrava alta de 0,85%, a 72.820 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais