Chávez pede desculpas e encerra crise com Merkel

SÃO PAULO, 16 de maio de 2008 - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse na sexta-feira ter pedido perdão e dado um beijo na chanceler alemã, Angela Merkel, a quem recentemente havia acusado de ser descendente política de Hitler.

"Não vim aqui brigar. Tive muito prazer em estender a mão à chanceler alemã, demos um beijo", disse Chávez, segundo a agência de notícias peruana Andina.

"Ela disse algo lá e eu respondi. Cristina ñKirchner, presidente argentinaí estava ali; dei um beijo nela e na chanceler alemã, a quem lhe disse que se fui duro, ´perdoa-me, aqui está a minha mão", acrescentou.

Minutos antes de entrarem na sessão de trabalho da 5. Cúpula da América Latina, Caribe e Europa, em Lima, Merkel e Chávez se deram um aperto de mãos, aparentemente selando a paz. No domingo passado, em seu programa de rádio, Chávez disse que os líderes latino-americanos deveriam se afastar de Merkel, porque ela seria descendente política de Hitler. Era uma reação a um pedido da chanceler para que a América Latina desses as costas a Chávez.

Após uma breve troca de farpas, Merkel baixou o tom e disse antes de chegar a Lima que não estava preocupada em encarar o presidente venezuelano.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais