Ipea: Brasil gasta um terço de impostos com serviços públicos

JB Online

BRASÍLIA - O aumento da arrecadação do setor público nos últimos anos não se reverteu em melhorias para a população, disse nesta quinta-feira o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann. Durante seminário que discute a reforma tributária, ele apresentou números que mostram que os recursos destinados aos serviços públicos representam um terço do que o Estado arrecada.

De acordo com o economista, a carga tributária bruta (proporção entre o que o setor público arrecada e o que é produzido no Brasil) passou de 30,4% para 35,7% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2000 a 2007. No entanto, se for descontado o que o governo retorna aos cidadãos por meio da previdência social e dos benefícios assistenciais, essa proporção cai para 12,1% - dados de 2005 e praticamente igual aos 12% registrados no ano anterior.

- Esses recursos representam o que o setor público tem para exercer as funções como segurança, saúde, transporte - explicou Pochmann.

- De cada R$ 3 que o governo arrecada, apenas R$ 1 fica para ele exercer suas funções - disse. O restante, segundo o presidente do Ipea, vai para o pagamento de juros, benefícios sociais e instituições privadas. - Isso deixa o Estado com pouca capacidade de fazer uma interferência decente e efetiva, pois a capacidade de recursos é apenas um terço daquilo que arrecada - apontou.

Com informações da Agência Brasil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais