Bovespa: Investment grade do Brasil dispara índice

InvestNews

SÃO PAULO - A elevação do Brasil a grau de investimento (investment grade) pela agência de classificação de risco Standard & Poor's explodiu o movimento da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e a levou a um novo recorde histórico em pontuação. Com a notícia, a bolsa paulista encerrou o dia com forte valorização de 6,34%, aos 67.868 pontos. O último recorde havia sido atingido dia 6 de dezembro, aos 65.790 pontos. Já a maior variação positiva deste ano foi registrada em 24 de janeiro, quando a Bovespa chegou a avançar 5,95%. O giro financeiro somou R$ 9,75 bilhões.

Próximo ao encerramento dos negócios, a agência de classificação de risco Standard & Poor's elevou o Brasil ao grau de investimento. A nota de crédito (rating) para moeda estrangeira foi elevada de 'BB+' para 'BBB-' com perspectiva estável. Já a nota para moeda local passou de 'BBB' para 'BBB+', também com perspectiva estável. O rating para moeda local de curto prazo foi ajustado de "B" para "A-3".

O Brasil foi o 14º país a ter seus créditos soberados em moeda estrangeira elevada para investment grade. De acordo com nota da Standard & Poor's, as atualizações refletem a maturação das instituições do Brasil e do quadro político, como demonstra a melhora no âmbito fiscal e da dívida externa, além da melhora nas perspectivas de crescimento", afirma.

'O investment grade abre portas para maior fluxo de investimentos estrangeiros em renda variável, principalmente de fundos que só aplicam em países com nota de crédito máxima. Além disso, a captação de recursos de empresas brasileiras no mercado externo fica mais barata', afirma Luiz Roberto Monteiro, analista de investimentos da Corretora Souza Barros.

Porém, durante o dia a bolsa paulista também operou em alta, influenciada pela divulgação preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano - que avançou 0,6% no primeiro trimestre deste ano - e decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sobre a taxa básica de juros. Nesta última, a entidade monetária optou por um corte de 0,25 ponto percentual (p.p) nos juros, para 2% ao ano, em linha com o esperado pelo mercado.

Em véspera de feriado nacional, Gol, Vivo e Usiminas reportaram seus resultados referentes ao primeiro trimestre deste ano. A Gol Linhas Aéreas Inteligentes anunciou prejuízo líquido de R$ 3,5 milhões no primeiro trimestre deste ano ante um lucro líquido de R$ 116,6 milhões. Já a Vivo registrou lucro líquido de R$ 89,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 19,33 milhões observados em igual período do ano passado. Por fim, a Usiminas reportou lucro líquido de R$ 646 milhões entre janeiro e março deste ano ante os R$ 642 milhões registrados em 2007.

Dentre os destaques positivos do Ibovespa estão CCR ON, que subiu 15,78%, a R$ 32,05; Cyrela ON, que avançou 15,73%, a R$ 27,73; e Gafisa ON registrou alta de 14,06%, a R$ 36,49. No sentido oposto, Sabesp ON caiu 0,47%, a R$ 41,61; e Embraer ON recuou 0,4%, a R$ 17,35.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em abril registrou alta de 7,2%, a 69.100 pontos.