Bovespa recua quase 3%

InvestNews

SÃO PAULO - O sentimento dos investidores de que os juros americanos terão sua última redução nesta quarta-feira levou a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) a registrar forte desvalorização de 2,82%, aos 63.825 pontos. O giro financeiro somou R$ 5,12 bilhões.

- Cerca de 75% dos analistas acreditam que haverá um corte dos juros na reunião desta quarta-feira. Porém, para a próxima reunião, 100% dos analistas apontam na manutenção da taxa e no início de uma trajetória de alta. Com isso, os investidores voltam ao dólar e saem de commodities - explica Miguel Daoud, diretor da Global Financial Advisor.

A configuração deste cenário levou o preço das commodities a registrarem um movimento descendente nesta terça-feira, influenciando os papéis da Vale e Petrobras, que representam cerca de 25% do Ibovespa. Enquanto os papéis preferenciais da Vale recuaram cerca de 2,5%, as ações preferenciais da Petrobras caíram quase 4%.

Os indicadores econômicos divulgados hoje, aliados às declarações do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ajudaram a manter as principais praças acionárias mundiais em território negativo. O Conference Board divulgou que a confiança do consumidor caiu para o menor nível em cinco anos.

Já Bush afirmou, durante a manhã, que a economia dos Estados Unidos está "muito lenta" e que isto refletirá nos dados de crescimento que serão anunciados na quarta-feira. Para amanhã, o governo anunciará a primeira prévia do Produto Interno Bruto (PIB) referente ao primeiro trimestre deste ano.

Dentre os destaques positivos do Ibovespa estão Cyrela ON, que subiu 3,04%, a R$ 10,49; Tam PN, que avançou 2,36%, a R$ 35,95; e Gol PN registrou alta de 1,56%, a R$ 25,95. No sentido oposto, Telemar PN caiu 6,26%, a R$ 49,68; B2W Varejo ON recuou 5,94%, a R$ 49,85; e Klabin PN registrou queda 5,11%, a R$ 6,49.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em abril registrou queda de 3%, a 64.650 pontos.