Presidente da LVMH nega patrocínio à causa do dalai-lama

SÃO PAULO, 17 de abril de 2008 - Bernard Arnault, presidente do grupo de produtos de luxo Louis Vuitton Moët Hennessy (LVMH), negou as acusações que transitam pela China de que a companhia patrocina a causa do dalai-lama, líder espiritual do Tibete.

A vontade da LVMH "sempre foi e continua sendo o de não se envolver em nenhuma causa política ou religiosa no Tibete, ou em qualquer outra parte do mundo", afirmou Arnault. De acordo com o executivo, o envolvimento nessas causas não é a vocação de uma empresa.

Juntamente com a rede varejista Carrefour, o LVMH é um dos grupos franceses que vêm sendo atacados em site chineses, alguns dos quais defendem um boicote aos produtos dessas companhias. A LVMH está presente na China desde 1990, onde emprega mais de 4 mil funcionários e gera 1 mil novos postos de trabalho todos os anos.

(Redação - InvestNews)