Mercado deve repercutir decisão do Copom e balanços

SÃO PAULO, 17 de abril de 2008 - O resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e balanços corporativos trimestrais deverão centrar as atenções do mercado nesta quinta-feira. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em junho registrava valorização de 0,01%, aos 65.060 pontos, na Bolsa de Mercadorias & Futuro (BM&F).

O Banco Central surpreendeu grande parte do mercado ao anunciar um aumento de 0,5 ponto percentual (p.p) na taxa básica de juros. Analistas apostavam em uma alta de 0,25 p.p na Selic.

Antes de ser anunciado o rumo dos juros brasileiro, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o dia em forte alta, influenciada pelo bom humor dos mercados externos. Os resultados do JPMorgan Chase e Coca-Cola, aliados a alguns indicadores norte-americanos animaram os investidores.

Ainda no front interno, a bolsa paulista informou que o vencimento de opções sobre o Índice Bovespa (Ibovespa) movimentou R$ 2.007.900.000,00. Do volume das operações exercidas, R$ 1.860.050.000,00 representaram opções de compra e R$ 147.850.000,00, opções de venda, em um total de 33.330 contratos.

Para esta quinta-feira estão previstas as divulgações do índice que mede a atividade industrial da região da Filadélfia e os indicadores antecedentes. Nesta manhã, o banco de investimentos Merrill Lynch, além da Nokia e da Votorantim já apresentaram seus balanços. Também serão divulgados hoje os resultados do Google e Pfizer.

Na Ásia, com exceção de Xangai, as praças acionárias da região fecharam em alta nesta quinta-feira, beneficiadas pelo cenário otimista em Wall Street e pela divulgação de resultados corporativos acima do estimado, que minimizaram as preocupações dos investidores com a crise no mercado de crédito subprime ou de alto risco nos Estados Unidos. O barril de petróleo superou US$ 115, elevando os ganhos nos pregões da região.

(Vanessa Correia - InvestNews)