LLX começa expansão portuária no Brasil

SÃO PAULO, 16 de abril de 2008 - A LLX deu início a um projeto de expansão portuária no País. A companhia tem planos de construir três portos na região Sudeste para atender tanto a demanda das empresas do grupo EBX (controladora da LLX e MMX) como de outras companhias que necessitem dos portos para importar ou exportar.

O Porto do Açu será desenvolvido em São João da Barra (RJ); o Porto Brasil, entre Itanhaém (SP) e Peruíbe (SP) e o Porto Sudeste, em Itaguaí (RJ). ´Atualmente os portos brasileiros tem capacidade apenas para receber navios pequenos, o que eleva o custo com o frete, pois é necessário mais de um navio para trazer a carga. Com navios maiores o preço do frete cai até 75%´, diz o diretor-presidente da LLX, Ricardo Antunes.

O Porto do Açu servirá de centro logístico para as regiões do centro-oeste e sudeste. Com investimento de US$ 1,2 bilhão, o porto terá seis berços de atracação para navios graneleiros e quatro para contêineres, produtos siderúrgicos e cargas gerais. O início das operações está previsto para 2010.

Já no Estado de São Paulo, a LLX deve desenvolver o projeto mais ambicioso: o Porto Brasil. Em uma área de 1.950 hectares e uma costa de 4 Km, a empresa quer transformá-lo no maior e mais moderno porto para contêineres do Brasil. ´O Porto Brasil tem potencial para se tornar o maior hub port da América Latina.´

Segundo Antunes, serão aplicados US$ 2 bilhões neste projeto, que começa a operar em 2012. ´Não vai afetar o movimento de Santos, pois há muita demanda no nosso País. Com a transferência de alguns produtos para o Porto Brasil, Santos poderá receber outras cargas.´

O terceiro projeto da empresa, o Porto Sudeste, em Itaguaí (RJ), é um terminal que deve atender principalmente a demanda da MMX. Antunes diz que até 30% da capacidade será destinada à terceiros. A idéia é escoar a produção de minério de ferro e receber granéis sólidos, principalmente carvão. Os investimentos serão da ordem de US$ 300 milhões e as operações iniciam em 2011.

´Já temos 38 pré-contratos com empresas que desejam utilizar nossos portos para importar ou exportar. Também há grandes empresas interessadas em se instalar nos parques industriais dentro dos portos´, disse o presidente, sem citar o nome de nenhuma companhia.

(Sérgio Toledo - InvestNews)