Alimentos não conflitam com etanol, diz ministro

SÃO PAULO, 16 de abril de 2008 - ´É perfeitamente compatível no Brasil uma política inteligente de produção de alimentos e biocombustíveis´, disse o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes durante a abertura oficial da 30ª Conferência da FAO para a América Latina e Caribe. Na ocasião, Stephanes ressaltou que o Brasil não aceita críticas ao programa de biocombustíveis brasileiro, pois o País abastece toda a necessidade de consumo interno e ainda exporta excedentes.

´O Brasil é o País que mais cresce na produção de excedentes de alimentos. Somos os maiores exportadores de carnes, café, açúcar, sucos e o segundo maior de grãos´, completou.

Segundo o ministro, a energia limpa, além de proteger o meio ambiente, é também mais uma opção de renda para o agricultor e a tecnologia nacional é bastante desenvolvida, especialmente no caso do etanol. Com relação ao cultivo da cana-de-açúcar, Stephanes lembrou que a cultura representa menos de 1% da produção agrícola brasileira e a expansão do produto está ocorrendo em áreas de pastagens subaproveitadas.

O ministro também anunciou que o ministério irá lançar um programa de incentivo a produção do trigo no Brasil, que terá como base preço mínimo, crédito e seguro rural. Stephanes explicou que hoje, com a alta do preço do produto no mercado internacional, tornou-se interesse a ampliação do cultivo no País. A idéia é reduzir a dependência brasileira do trigo que hoje importa dois terços do produto.

(Redação - InvestNews)