Mercado segue passos de Wall Street e dólar cai

SÃO PAULO, 15 de abril de 2008 - Seguindo os passos de Wall Street, o mercado de câmbio operou animado nesta manhã. Os investidores reagiram ao núcleo do Índice de Preços ao Produtor (PPI) e ao resultado melhor do que o esperado da fabricante de produtos de saúde Johnson & Johnson. No final da primeira etapa o dólar cedeu 0,24%, vendido a R$ 1,684, também influenciado pela entrada de recursos um dia antes da reunião do Banco Central, que deve elevar o juro no País. Lá fora, as bolsas subiam e a taxa de risco-Brasil, acompanhando o otimismo cedia abaixo de 245 pontos.

O núcleo do PPI, menos volátil por excluir os ítens de alimentação de energia, desacelerou para 0,2% em março, contra avanço de 0,5% em fevereiro, em linha com as expectativas. "É um sinal de que o Fed pode continuar cortando o juro, sem temer o impacto da inflação", avalia um profissional. O BC dos Estados Unidos se reúne nos próximos dias 29 e 30 e a expectativa é de que o custo do dinheiro caía ao menos 0,25 ponto percentual.

Para ajudar, o índice que mede a atividade na região de Nova York se estabilizou em abril, após despencar nos dois meses anteriores, segundo a pesquisa Empire State. Do lado corporativo, a Johnson & Johnson lucrou US$ 1,26 por ação no primeiro trimestre, acima do US$ 1,20 esperado. Além disso, a companhia elevou sua previsão de lucro para 2008.

No Brasil, em direção inversa, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve elevar a Selic, amanhã, para conter a demanda aquecida e pressões sobre os preços. O mercado espera por uma alta de 0,25 ponto, mas não descarta a possibilidade de 0,50 ponto.

Por volta das 12h30 o BC realizou leilão de compra de dólares no mercado à vista. A taxa de corte foi de R$ 1,6831 e a liquidação será no próximo dia 17.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)