Junta orçamentária define corte orçamentário nesta quarta-feira

REUTERS

BRASÍLIA - A junta orçamentária, formada pelos ministros da Fazenda, do Planejamento e da Casa Civil, se reúne nesta quarta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para definir o volume de despesas do Orçamento de 2008 a ser bloqueado pelo governo. Guido Mantega defendeu publicamente na terça-feira um corte de 20 bilhões de reais, correspondente ao ajuste que o governo havia anunciado, em janeiro, para compensar o fim da CPMF.

O ministro Paulo Bernardo, no entanto, foi favorável a um valor menor de bloqueio de verbas, e caberá então ao presidente tomar a decisão final sobre o assunto. Segundo uma fonte do Ministério da Fazenda, ao insistir nos 20 bilhões de reais, Mantega quis mostrar que sua equipe está disposta a reduzir as despesas públicas e contribuir assim para um crescimento econômico equilibrado, evitando a necessidade de uma elevação dos juros pelo Banco Central.

- Ele quis sinalizar que pode ser duro também (com as despesas) - afirmou a fonte, que pediu para não ser identificada.

O Banco Central tem reiterado sua preocupação com um descasamento entre oferta e demanda na economia, indicando fortemente uma elevação em breve os juros, atualmente em 11,25 por cento ao ano. O Congresso já havia aprovado um corte de gastos de 12,6 bilhões de reais sobre o projeto de lei orçamentário apresentado pelo governo para acomodar parcialmente o fim da CPMF - tributo que geraria cerca de 40 bilhões de reais em receitas em 2008. Mantega argumenta, no entanto, que o Congresso também criou novas despesas, o que manteria a necessidade de um corte de 20 bilhões de reais.