UBS é o mais afetado pela crise do subprime

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - O UBS se tornou o banco mais prejudicado do mundo, devido à crise de crédito hipotecário de alto risco (subprime), ao revelar nesta terça-feira uma segunda rodada de perdas bilionárias - ? 12,15 bilhões (ou US$ 19 bilhões). Estas perdas foram as maiores, causadas de uma só vez pela crise do subprime no mundo e se somam aos ? 11,7 bilhões (ou US$ 18,4 bilhões) de perdas registradas pelo banco em 2007.

Os resultados divulgados hoje causarão ao UBS uma perda líquida de 12 bilhões de francos suíços (US$ 12 bilhões ou ? 7,6 bilhões) no primeiro trimestre deste ano, depois de perdas de 4,4 bilhões de francos suíços em 2007 (US$ 4,4 bilhões ou ? 2,8 bilhões).

As perdas globais do UBS até agora totalizam US$ 37,4 bilhões (quase ? 24 bilhões), ficando à frente dos norte-americanos Citigroup (US$ 21,1 bilhões em 2007) e Merrill Lynch (US$ 19,4 bilhões em 2007).

Também em comunicado, o UBS informou igualmente que o presidente de seu conselho de direção, Marcel Ospel, não se apresentará à reeleição este ano e será substituído por Peter Kurer, presente no diretório da instituição desde 2002.

O banco ainda propôs um aumento de capital ordinário através de uma emissão de direitos de subscrição para arrecadar 15 bilhões de francos suíços (? 9,5 bilhões) em dinheiro e criou uma nova unidade para gerenciar ativos imobiliários americanos atualmente em estado de iliquidez. As últimas perdas do ano passado já haviam obrigado a instituição a aceitar um polêmico resgate de um fundo soberano de Cingapura e de um investidor anônimo do Oriente Médio.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)