Setor bancário puxa alta das bolsas paulista e nos EUA

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - O noticiário corporativo interno e externo, aliado a divulgação dos indicadores norte-americanos, influenciam positivamente o movimento da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta manhã. Há pouco, a bolsa paulista registrava valorização de 1,9%, aos 62.146 pontos. O giro financeiro estava em R$ 2,63 bilhões.

O setor financeiro é um dos destaques do mercado doméstico. Banco do Brasil e Bradesco anunciaram que deverão contabilizar ganhos extraordinários com a venda de parte das ações que possuíam da Visa Inc, que recentemente realizou sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

O Banco do Brasil divulgou que o resultado da oferta representará ao conglomerado, em marco de 2008, lucro antes de impostos em torno de R$ 362 milhões. Já o Bradesco anunciou que o lucro antes dos impostos deverá somar, aproximadamente, de R$ 352 milhões, o qual deverá constar no resultado do primeiro trimestre de 2008. As ações ordinárias do Banco do Brasil avançam 6,8%, enquanto que os papéis preferenciais da Bradesco sobem 2,1%.

No front externo, o setor financeiro também é destaque. UBS e Deutsche Bank anunciaram que deverão reportar baixas contábeis no primeiro trimestre deste ano, em função da crise de crédito hipotecário de alto risco (subprime). A notícia animou os mercados acionários mundiais, que entenderam que os anúncios buscaram aumentam a transparência do setor quanto ao alcance da crise.

Também nesta manhã foram divulgados os gastos com construção e atividade manufatureira norte-americana. Enquanto o ISM Index veio acima do esperado pelo mercado, porém ainda abaixo dos 50 pontos - que indica uma retração da atividade -, o indicador que mede os gastos com construção frustrou os analistas por vir abaixo da expectativa.

Dentre os destaques positivos do Ibovespa, além dos papéis do Banco do Brasil, estão Natura ON, que subia 4,6%, a R$ 18,74; e Aracruz PNB, que avançava 4,09%, a R$ 12,46. No sentido oposto, Cesp PNB caía 2,77%, a R$ 28,00; Telemar ON recuava 1,17%, a R$ 59,88; e Bradespar PN desvalorizava 0,97%, a R$ 46,89.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em abril registrava alta de 1,64%, a 61.850 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)