Produção de veículos permanece em alta no 1º bim

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - O crescimento de 9,2% da produção industrial no primeiro bimestre deste ano, face igual período de 2007, foi detectado em 22 atividades, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal Produção Física divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A fabricação de veículos automotores manteve a liderança em termos de impacto sobre o índice geral, com avanço de 24,3%. Outras contribuições positivas relevantes vêm de máquinas e equipamentos, com alta de 14,4% influenciada pelo item máquinas para colheita; e outros produtos químicos, cuja expansão de 12,8% está associada ao aumento da produção de herbicidas e tintas ou vernizes para construção.

Por categoria de uso, ainda no indicador acumulado no ano, o aumento no início de 2008 confirmou o padrão de crescimento de 2007. Os maiores resultados ficaram com bens de capital (19,9%) e bens de consumo duráveis (18,1%), ambos com ritmo de crescimento duas vezes maior que a média global. O setor de bens intermediários assinalou expansão igual à média da indústria (9,2%), ficando bens de consumo semi e não duráveis, com taxa de 3,5%, abaixo da média.

De acordo com o IBGE, a aceleração no ritmo industrial apurada entre janeiro de fevereiro, superando o índice do quarto trimestre do ano passado (7,9%), reflete o movimento bem marcado pelo setor de bens de consumo duráveis, cujo crescimento foi generalizado e saltou de 13,4% para 18,1% entre os dois períodos. O setor de bens intermediários, de maior peso na estrutura industrial, também mostrou aceleração passando de uma taxa de 6,8% para 9,2%. O segmento de bens de capital, embora mantendo ritmo bem acima da média, perdeu dinamismo (de 24,0% para 19,9%). Por outro lado, o setor de bens de consumo semi e não duráveis assinalou uma desaceleração, passou de 4,1% para 3,5%.

"A manutenção da oferta de crédito, o aumento da massa salarial, a confiança do consumidor e dos empresários são fatores que sustentaram o desempenho do setor industrial neste início de ano. Destaca-se, ainda, a manutenção de resultados positivos nas vendas externas, que impactaram principalmente o setor produtor de commodities", avalia o IBGE.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)