Presidente pede a agricultores fim do bloqueio

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - "Deixem passar os alimentos para o povo!", conclamou a presidente da argentina, Cristina Kirchner, nesta terça-feira, a milhares de seus partidários na Praça de Maio, ao reivindicar dos agricultores em greve há 20 dias que ponham fim aos bloqueios de estrada.

"Eu lhes peço, encarecidamente, que deixem passar os alimentos para o povo, que deixem passar os insumos para as fábricas, que deixem passar as mercadorias para o comércio", disse Kirchner, em um discurso com dramáticos apelos ao respeito do voto popular que a levou à presidência em 2007.

Em um dos mais duros parágrafos de sua mensagem, a presidente comparou as organizações rurais em greve com os setores empresariais que "fizeram o 'lock-out' patronal em fevereiro de 1976, antes que o país vivesse a tragédia do golpe mais terrível", em referência à ditadura instalada naquele ano.

"Força, Cristina, não ceda!", gritava a multidão, convocada pelo Peronismo, com cartazes contra "os grandes grupos econômicos e financeiros" e "os golpistas da ditadura (1976-1983)".

Após aparecer no palanque acompanhada do marido, o ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), Cristina disse ter "coragem e valentia, apesar de uma aparente fragilidade de mulher" para enfrentar um desafio a seu poder, nos primeiros 120 dias de governo.

"Eu não vou trair vocês. Não vim defender um grupo político, mas todos os argentinos. Não percamos esta oportunidade histórica. Estamos vivendo o período de crescimento mais frutífero em 200 anos", acrescentou a presidente, que há 20 dias ordenou um plano de impostos sobre as exportações de soja.

As informações são da AFP.

(Redação - InvestNews)