Especialista da UE diz que carne brasileira cumpre normas européias

Agência EFE

BRUXELAS - Os inspetores da Comissão Européia (CE) asseguraram que as cerca de 100 fazendas brasileiras que exportam carne bovina para a União Européia (UE), cumprem as normas do bloco, anunciou hoje a comissária de Saúde européia, Androulla Vasiliou. A comissária disse ao Parlamento Europeu (PE) que o grupo de especialistas da CE que visitou o Brasil para verificar o estado sanitário da pecuária brasileira acaba de retornar, "e garantiu à comissão que os produtores que exportam carne para a UE cumprem a normativa do bloco".

Vasiliou disse, em audiência perante a comissão de Saúde do Parlamento Europeu, que essas garantias são dadas pelo menos nas 95 fazendas visitadas pelos peritos da CE. Desta forma, a comissária respondeu a perguntas de eurodeputados da Irlanda e da Suécia sobre o estado das importações de carne brasileira e o resultado das medidas impostas pela UE ao produto, que na prática impediram que, durante semanas, o Brasil vendesse carne ao mercado europeu.

- Fico feliz em afirmar que os brasileiros foram compreensivos e estão cooperando - ressaltou Vasiliou.

Ela lembrou que foram as próprias autoridades brasileiras que a princípio propuseram uma lista de 2 mil fazendas autorizadas para a exportação de carne bovina, e depois reduziram a relação para 205.

- Atualmente, as 106 propriedades autorizadas cumprem normas comparáveis às européias - acrescentou.

No final de fevereiro, a CE retomou as importações de carne bovina do Brasil, maturada e desossada, para esse número de fazendas, por considerar que cumprem as condições sanitárias para que seus produtos sejam enviados ao mercado europeu. O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e o maior fornecedor à UE, com 65,9% do volume das importações e 56,5% do valor total dos envios desse produto que chegam ao mercado comunitário.

Em todo caso, os produtores de carne bovina de Reino Unido e Irlanda - apoiados por eurodeputados dos dois países - fizeram fortes pressões durante vários meses e chegaram a pedir que a UE fosse além nas medidas contra a carne brasileira.