Crise americana preocupa todas as pessoas de bom senso

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - A crise americana preocupa todas as pessoas de bom senso" e "todas as pessoas de juízo". A afirmação é do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o presidente, o Brasil não está imune a uma recessão prolongada nos Estados Unidos.

"Nós sabemos que se uma recessão prolongada acontecer nos Estados Unidos, pode ter reflexo na economia mundial e certamente o Brasil não estará imune a uma crise profunda nos Estados Unidos", afirmou.

Lula comparou a crise na economia americana a uma comissão parlamentar de inquérito (CPI), em que todo dia aparece uma nova denúncia. "É como se fosse uma CPI, todo dia aparece uma notícia, todo dia aparece uma denúncia, uma coisa, e ainda não temos um quadro montado da crise americana".

"O dado é que ela é grave, pelas proporções das exigências que o governo americano já teve que participar, já é grave por conta da participação dos bancos centrais europeus tendo que enxertar dinheiro".

Lula ressaltou, no entanto, que a crise ocorre em um momento em que o cenário mundial é diferente daquele em que ocorreu a crise asiática (1997), e que teve forte repercussão nos países pobres.

"É verdade que o chamado mundo desenvolvido, via Estados Unidos, tem uma crise, mas é verdade que outros países estão em situação que não estavam em outros momentos de crise no mundo", disse.

Segundo o presidente, o Brasil precisa ter "muito cuidado", pois embora o país esteja em um momento de menor vulnerabilidade, ainda está sendo consolidado um determinado jeito de governar o país.

"Pretendemos não facilitar um milímetro sequer". E completou: "Temos que acompanhar direitinho, ir tomando as medidas que temos que tomar".

O presidente Lula participou hoje da reunião plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), órgão consultivo da Presidência da República, formado por 13 ministros e 90 líderes da sociedade civil.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)