Abril começa com divulgações de indicadores

SÃO PAULO, 1 de abril de 2008 - Abril começou com as atenções voltadas para a divulgação de indicadores econômicos internos e externos. Por aqui, a queda de 0,5% na produção industrial em fevereiro, ante janeiro, veio dentro das estimativas dos analistas. O mercado também repercutiu o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), de 31 de março, que ficou acima da mediana das expectativas (0,38%) com alta de 0,45%, destaque para a elevação dos preços de alimentação, habitação e transportes, reflexo o aumento das hortaliças, frutas, pães, tarifa de eletricidade e gasolina, respectivamente.

Mesmo com o resultado da produção industrial mostrando queda, os investidores continuam cautelosos e apostando em elevação na taxa Selic, fixada em 11,25% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) agendada para 15 e 16 de abril. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) as projeções de juros embutidas nos contratos de Depósitos Interfinanceiros (DI) já precificam o aumento no juro básico da economia brasileira. O DI de janeiro de 2010 apontava juro anual de 13,36%, ante 13,30% ao ano.

Para equipe econômica da SulAmérica Investimentos, não há sinais de arrefecimento ou acomodação da demanda interna, que continuará sendo impulsionada pelo mercado de trabalho robusto, expansão do crédito e impulsos fiscais, além dos estímulos remanescentes provenientes do relaxamento monetário recente. Com o consumo sustentando fortes taxas de crescimento, em ritmo superior à capacidade da oferta, não são desprezíveis os riscos de a inflação se afastar do centro da meta. No entanto, cabe a autoridade monetária evitar este risco e agir preventivamente por meio da alta dos juros. Para a SulAmérica Investimentos, o colegiado do BC deve fazer quatro elevações consecutivas de 0,25 ponto percentual, iniciando-se na próxima reunião.

No front externo, o índice que mede a atividade manufatureira norte-americana (ISM Index, em inglês) superou as expectativas do mercado no mês de março, ao registrar 48,6 pontos enquanto o esperado era 47,5 pontos. Em fevereiro, o relatório havia registrado 48,3 pontos.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)