Dívida pública brasileira sobe para R$ 1,157 trilhão em fevereiro

Agência Brasil

BRASÍLIA - A dívida pública brasileira chegou a R$ 1,157 trilhão em fevereiro, o que representa 42,2% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. O resultado de fevereiro é superior ao de janeiro ( 41,9% do PIB). Os dados constam da nota de Política Fiscal, divulgada hoje (31) pelo Banco Central.

A dívida pública brasileira é a soma dos débitos dos governos federal, estaduais e municipais. Esse valor, chamado de dívida líquida do setor público, desconta o que os governos têm a receber de empresas privadas ou de outros governos. Quanto menor a relação entre dívida e PIB, maior é a confiança dos investidores brasileiros e estrangeiros de que o país vai honrar seus compromissos.

Os juros pagos por União, estados, municípios e estatais (setor público consolidado) chegaram a R$ 15,444 bilhões no mês passado, contra R$ 13,131 bilhões registrado em janeiro de 2008.

Em fevereiro, a economia que o setor público (governos central, regionais e empresas estatais) fez para pagar os juros da dívida, o chamado superávit primário, ficou em R$ 8,966 bilhões. Esse resultado foi menor do que registrado em fevereiro do ano anterior (R$ 13, 457 bilhões). Em janeiro deste ano, foi registrado superávit primário de R$ 18,662 bilhões.

No acumulado do ano, o superávit primário ficou em R$ 27,629 bilhões, o que corresponde a 6,22% do PIB. A meta do governo para este ano é de um superávit primário de 3,8% do PIB.

No caso do governo central (governo federal, Banco Central e Previdência), a economia para pagar os juros da dívida foi de R$ 4,088 bilhões.

No mês passado, as despesas do setor público maiores do que as receitas geraram déficit nominal (receita menos despesas, incluídos gastos com juros) de R$ 6,477 bilhões, contra R$ 4,330 milhões do mesmo período de 2007.