JPMorgan recomenda venda de dívida da Argentina

SÃO PAULO, 28 de março de 2008 - O JPMorgan Chase, banco de investimentos norte-americano, recomendou hoje aos investidores para que vendam títulos da dívida pública da Argentina e da Turquia, mencionando a "debilidade estrutural" do país sul-americano e as grandes necessidades de financiamento em Ancara. Ao mesmo tempo, a instituição aconselhou aos seus investidores para que comprem papéis da dívida pública do Peru, devido aos fortes fundamentos destes títulos.

As recomendações fizeram com que o JPMorgan classificasse como "exposição neutra" seu modelo de investimentos direcionado às dívidas de mercados emergentes, disse a entidade por comunicado. No caso da Argentina, que enfrenta uma greve agropecuária, o JPMorgan ajustou seu portfólio ao vender 3 milhões de bônus Bonar, com vencimento para 2001, por US$ 91,50.

O banco de investimentos acrescentou que a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, não tirou proveito do momento pós-eleitoral para realizar mudanças estratégicas no país sul-americano, principalmente em relação à inflação, a excessiva dependência dos preços de matérias-primas e a escassez de energia.

Segundo o JPMorgan, estes problemas "a longo prazo afetam as expectativas de crescimento da Argentina e agravam os atuais problemas financeiros no país". "Dado o limitado acesso ao mercado do Governo, a capacidade da economia para amortizar um potencial ajuste na demanda doméstica para bastante limitado", considera o banco norte-americano.

Em contraste, os fundamentos no Peru e sua posição técnica melhoraram, principalmente após o governo do presidente Alan García anunciar nesta semana planos para recomprar de dívidas do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento, disse o JPMorgan.

"Embora a inflação preocupe o governo de García, o forte crescimento da economia peruana se mantém, apesar dos contínuos temores de uma recessão na economia mundial, devido à crise no mercado de crédito subprime ou de alto risco nos Estados Unidos", complementa o banco de investimentos.

O JPMorgan acrescentou que adicionará 2 milhões de bônus globais peruanos, com vencimento para 2025, ao seu modelo de investimentos, a um preço de US$ 113,75.

(Redação - InvestNews)