Argentina acredita que agropecuários cessem a greve para dialogar

Agência EFE

BUENOS AIRES - O Governo da Argentina se mostrou nesta sexta-feira confiante de que as entidades agropecuárias acabariam a greve comercial e os bloqueios de estradas, que nesta sexta-feira entram em seu 16º dia, para poder começar um diálogo que ponha um fim ao conflito.

O ministro do Interior argentino, Florencio Randazzo, manifestou em declarações às emissoras de rádio sua esperança de 'poder sentar em uma mesa para dialogar' rapidamente.

Neste sentido, destacou que algumas das organizações do campo que protestavam pelo aumento dos impostos das exportações de soja e girassol receberam positivamente a mensagem transmitida nesta quinta-feira pela presidente argentina, Cristina Fernández.

A chefe de Governo solicitou aos agricultores que parem com a greve comercial para assim poder iniciar um diálogo, embora tenha defendido o novo esquema de impostos às exportações de grãos.

- Escutamos algumas manifestações públicas de algumas organizações do campo, que receberam muito bem a mensagem da presidente, mas estamos esperando que hoje as respectivas assembléias de cada organização resolvam qual será sua posição - disse Randazzo à 'Rádio Mitre' de Buenos Aires.

As quatro entidades do campo que convocaram a greve há duas semanas se mostraram dispostas a analisar hoje a proposta do Governo de começar a conversar, embora tenham admitido que o fim dos bloqueios de estradas dependerá da decisão das 'bases' concentradas em cada ponto do protesto.

Em vários pontos os manifestantes puseram fim ao protesto e permitiram a passagem de veículos, embora tenham permanecido à beira da estrada, enquanto em outros persistem os 'bloqueios seletivos'

não deixando passar caminhões com alimentos.